Menu Close

Carnaval 2007: Beija-flor e Grande Rio conquistam o 1º e 2º lugares


2007 é o ano da Beija-Flor, campeã do carnaval do Rio. A tradicional escola azul e branco de Nilópolis conquistou seu décimo título com o enredo “Áfricas: do berço real à corte brasiliana”, que falava sobre as dinastias guerreiras africanas e a influência da cultura da África no Brasil.

Com 399,3 pontos, a Beija-Flor foi a última escola a desfilar na noite de segunda-feira, e deixou a Marquês de Sapucaí ovacionada pelo público, aos gritos de “campeã”. Entre os destaques da escola, a presença de Cláudia, filha de Pinah Ayoub, porta-bandeira que fez história em desfiles da Beija-Flor nos anos 70 e 80.

O enredo da Beija-Flor foi desenvolvido por uma comissão de carnaval da própria escola, formada por vários carnavalescos, sob o comando de Laíla, e o samba interpretado por Neguinho da Beija-Flor, puxador da azul e branco há 32 carnavais.

Já a Grande Rio, que também foi vice em 2006 e obteve 397,9 pontos, levou para a avenida o enredo “Caxias – O Caminho do Progresso, um Retrato do Brasil”, que homenageava a cidade de Duque de Caxias, sede da escola. Entre os destaques, a atriz Grazielli Massafera, madrinha da bateria, o cantor Zeca Pagodinho e o ator José Wilker, vestido como o deputado Tenório Cavalcanti, o “Homem da Capa Preta” – personagem da história do município vivido por ele no cinema em 1986.

Em terceiro lugar, a verde-e-rosa Estação Primeira de Mangueira mostrou o enredo “Minha pátria é minha língua, Mangueira meu grande amor. Meu samba vai ao Lácio e colhe a última flor”, homenageando em forma de samba poetas, escritores e compositores brasileiros. Um dos destaques do desfile foi a belíssima comissão de frente, com os integrantes formando frases através de placas.

No desfile da Mangueira, um lamentável incidente, até agora não bem explicado: a sambista Beth Carvalho, ícone da escola há 36 anos, foi expulsa de um carro alegórico. A cantora, que dias antes procurou a direção da Estação Primeira de Mangueira pedindo para vir em um carro, justificando problemas de coluna e alegando não ter condições de vir no chão, foi agredida por um membro da velha guarda, e recebeu o aviso de que não poderia desfilar em nenhum carro, momentos antes da escola entrar na avenida.

Profundamente magoada com a desorganização da Mangueira, Beth Carvalho declarou que continua amando a escola, mas não sairá no desfile das campeãs, que acontece no próximo fim-de-semana.

As escolas Império Serrano e Estácio de Sá, últimas colocadas no desfile, foram rebaixadas para o Grupo A. A Império, que desfilou com o enredo “Ser diferente é normal – o Império Serrano faz a diferença no Carnaval”, trouxe uma ala composta por deficientes auditivos, visuais e portadores da Síndrome de Down, tendo como destaque a menina Joana Mocarzel, a Clara da novela “Páginas da Vida”.

A Estácio de Sá, que há nove anos tentava voltar ao Grupo Especial, reeditou o clássico samba-enredo “O Tititi do Sapoti”, de 1987. Não adiantou: a escola animou o público, mas não conquistou os jurados e, bem diferente do quarto lugar conquistado há vinte anos atrás, a Estácio volta ao grupo de acesso em 2008.

E quem volta ao Grupo Especial em 2008 é a São Clemente, escola do bairro de Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro.

3 Comments

  1. REGININHA

    EU NUNCA VOU ESQUEÇER VCS!NEM MESMO Q EU QUEIRA TÁ BOM?AMO MUITO VCS NUNCA ESQUEÇA DISSO!TODOS Q FASEM PARTE DA BEIJA-FLOR!PASSA A FASER TB DE MINHA VIDA!!!!!!!!!AMO MUITO VCSSSSSSSSSSSSSSSS

Deixe um comentário para martelenes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.