Das telas para as pistas de dança

Os estúdios de Hollywood já produziram centenas de clássicos, disto todo mundo sabe. E com eles, clássicos ou não, muitas canções tornaram-se sucessos mundiais, muitas vezes se tornando uma marca registrada, uma referência sobre o filme, e ainda fazendo com que muita gente caísse na dança, ao som dos temas dos personagens da grande tela.

Quem não se lembra de Oh, Pretty Woman, canção interpretada por Roy Orbison em Uma linda Mulher (1990)? Ou I Just Called To Say I Love You, de Stevie Wonder, tema de A Dama de vermelho (1984)?  São casos em que, só em mencionar o filme, automaticamente somos remetidos à canção, e vice-versa. Outro exemplo é Unchained Melody, do Righteous Brothers. Gravada nos anos 60, subiu ao topo das paradas de sucesso três décadas depois, com Ghost, do outro lado da vida, estrelado por Patrick Swayze e Demi Moore. Quantos não foram os casais que, em pleno 1990/91, dançaram de rosto colado ao som de “Oh, my love/my darling…”?

Mas foi na era disco’ que houve uma revolução. Afinal, naquele tempo, foi o cinema que levou o público para as pistas ou foi o público das pistas que foi ver o filme que os retratava? Em 1977, John Travolta alcançou o estrelato ao interpretar Tony Manero (foto, acima), um jovem do Brooklyn que explode nas pistas de dança. Era Saturday Night Fever, ou Os embalos de sábado à noite. Com trilha sonora dos irmãos Gibb – Maurice, Barry e Robin, do Bee Gees. Talvez por aí encontremos uma resposta, afinal, Travolta pôs o mundo inteiro pra dançar com Stayin’ Alive, Night Fever e You Should Be Dancing, entre outras canções.

A dica da coluna nesta semana vai para a trilha de um outro filme, também estrelado por John Travolta, em 1978: Grease, ou Nos tempos da brilhantina contava a história de um verão inesquecível vivido entre Danny Zucco (Travolta) e Sandy, interpretada por Olívia Newton-John. Boa parte da trilha era cantada pela dupla e pelo elenco do filme, como Summer Nights e We Go Together, mas o destaque mesmo fica com a faixa-título, na voz de Frankie Valli. Astro dos anos 60 com Can’t Take My Eyes Off You, voltou às paradas de sucesso com a canção que dá nome ao clássico. Não dá pra ficar parado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *