Menu Close

Nesta festa, só faltou a Xuxa

Segundo DVD Ploc 80’s completa o clima de revival da década

Cid Guerreiro, levantando o público com a sua “Ilariê”

Surgida no Rio de Janeiro em 2004, a Festa Ploc 80’s se tornou um fenômeno na noite carioca, que rapidamente se espalhou pelo Brasil. A partir da idéia dos DJ’s e produtores Luciano Vianna e Clarisse de La Cerda, de resgatar muito daquilo que estava perdido – ou seria guardado? – na memória afetiva de (hoje) vintões-quase-trintões, trintões e quarentões, vários nomes da época ressurgiram neste circuito saudosista, em edições que, sempre com casas lotadas, arrastaram mais de 900 mil pessoas por onde passou.

A festa virou marca registrada, sinônimo de revival da década de 1980, deu origem a um CD e DVD, lançado em 2005, e agora a mais um volume, que chega às lojas pela Performance Music. Em 14 faixas (no CD) e 19 números (no DVD) que, assim como o primeiro, também foi gravado no Circo Voador, no centro do Rio, este novo Ploc 80’s cai bem como um complemento ao primeiro, reunindo artistas que, semanalmente, povoavam os auditórios dos programas de TV – como Chacrinha, Xuxa, Mara Maravilha, Angélica, Gugu, Silvio Santos, entre outros – sempre com hits que dominavam as paradas de sucesso das rádios AM e FM.

A diversidade de estilos e convidados é clara e evidente, e talvez seja esta uma pista para explicar a comoção do público, que saúda nomes como Gretchen, Kátia e o ex-Polegar Alex Gil da mesma forma que qualquer popstar dos anos 2000. Muito antes do surgimento das “loiras e morenas” do É o Tchan, Gretchen, precursora do gênero Bunda Music, causava furor em pleno 1981 com “Conga conga conga” e “Freak le boom boom”, que inauguram a festa. Na seqüência, Guilherme Isnard recria “Carta aos missionários”, composição de 1989 que originalmente fazia parte do repertório do Uns & Outros, além de reviver “Agora eu sei” (1986), o maior sucesso de sua antiga banda, Zero, que, 21 anos atrás, era interpretada em dueto com o eterno RPM Paulo Ricardo.

E é direto do RPM que surge o guitarrista Fernando Deluqui, assumindo os vocais com “Nós vamos invadir sua praia” (1985), do Ultraje a Rigor. Do mesmo ano, a esquecida banda Grafitte volta com “Mamma Maria”. Também de ’85, o trio Os Abelhudos torna a defender “O dono da Terra”, tal qual no “Festival dos Festivais” da TV Globo. Entre as surpresas deste Ploc 80’s 2, a louríssima Kaoma ressurge com “Chorando se foi”, retirada não de um baú, mas provavelmente da mesma cápsula do tempo que enterrou o fenômeno Lambada em 1990, pouco antes do boom da música sertaneja.

Na linha romântica, Marcos Sabino traz a sua “Reluz”, de 1982; Direto de 1987, Kátia e Adriana revivem, respectivamente, as baladas “Qualquer jeito” e “I love you baby” e seus inesquecíveis refrões: “Não está sendo fácil, não está sendo fácil…” e “Te amar é tão bom, tão bom, tão bom…”.

Sempre jovem, vestindo um blusão florido típicamente praiano, Byafra completa o time com “Leão ferido”, de 1981. Na linha mais pop, Alex Gil traz um toque de rock com “Dá pra mim” (1989), o maior sucesso do Polegar, pseudo-rival do grupo Dominó (representado na primeira edição por Afonso Nigro em “Manequim” e “P da vida”, ambas de 1987).

Entre pom-pons e espadas de Greyskull e Thundera, erguidas do meio da plateia, Cid Guerreiro chega em dose dupla, com duas composições feitas especialmente para Xuxa: Tindolelê (1989) e Ilariê (1988). Ovacionado pelo público, que canta em coro os versos, ele encerra a apresentação visivelmente emocionado. Também do tempo do Teatro Fênix, as Paquitas vão de “Lua de cristal” (1990), também do repertório da apresentadora. Fechando a noite, o CD e o DVD, o ex-Trem da Alegria Luciano Nassyn, o único a participar dos dois shows, que voltou neste segundo DVD a pedido do público com “Thundercats” (1987).

Para as novas gerações, a música, os desenhos, os brinquedos, a moda e os costumes da “geração perdida” podem parecer coloridos demais, brega demais, quase beirando o ridículo. Ou talvez não entendam qual o sentido de Sergio Mallandro apresentar, nos extras, a “Porta dos desesperados”, um dos quadros mais famosos dos extintos “Oradukapeta” (SBT, 1987-1991) e “Show do Mallandro” (Globo, 1992-1993), acompanhado por um bando de marmanjos gritando feito loucos por causa de um prêmio – ou de um monstro escondido entre as três portas. Mas, para quem viveu tudo isso, ao som de canções de Sullivan & Massadas e cortes de cabelo que deixavam as pessoas com cara de poodles tosados, a Festa Ploc é a maior diversão. Confira.

Leia também:
Circo de emoções – Grandes nomes da década de 80 reunidos na gravação do segundo DVD da Festa Ploc 80

4 Comments

  1. Marcio Jardel

    O Trem da Alegria fez sucesso nos anos 80 luciano pegou as cancoes do Trem da
    Alegria como Piui Abacaxi E de Chocolate Uni Duni Te e He Man em rockoes
    Parabens Luciano muita saude e paz
    E gosto muito do Balao Magico como
    Amigos do Peito Superfatastico e Lindo Balao Azul e outras cancoes como Forcas Armadas de Alegria e Era Uma Vez
    Abracos
    Marcio

  2. Marcio Jardel

    Oi este Música & Letra e bom demais
    Por onde anda Rodrigo do grupo Os Abelhudos e do Rodrigo do Balao Magico
    eles estao bem
    Rodrigo e engenheiro
    Um abraco pro Rodrigo e um pro Rodrigo do Balao Magico irmao de Vanessa a ex integrante do Trem da Alegria
    Marcinho

  3. Marcio Jardel

    Oi este Música & Letra e bom demais
    Por onde anda Rodrigo do grupo Os Abelhudos e do Rodrigo do Balao Magico
    eles estao bem
    Rodrigo e engenheiro
    Um abraco pro Rodrigo e um pro Rodrigo do Balao Magico irmao de Vanessa a ex integrante do Trem da Alegria
    Marcinho

Deixe um comentário para Flavia da Pompeia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.