04 de maio de 1953, Rio de Janeiro, RJ

Lulu Santos - Foto: Fábio Vizzoni - Site Música e Letra

Há quase quatro décadas anos, Lulu Santos e a denominação pop andam lado a lado. Cantor de personalidade única, Lulu é um hitmaker: ao longo de sua carreira, compôs dezenas de sucessos, muitos deles ao lado do parceiro e amigo Nelson Motta.

Filho de um Brigadeiro da Aeronáutica, nascido em 4 de maio de 1953 no bairro do Rio Comprido, no Rio de Janeiro, Luiz Maurício Pragana dos Santos ainda pequeno mudou-se para Illinois, nos EUA, para onde seu pai foi transferido.

“Quando eu era pequeno
Eu achava a vida chata
Como não devia ser
Os garotos da escola
Só a fim de jogar bola
E eu queria ir tocar guitarra na TV…”

A autobiográfica Minha vida, gravada por Lulu Santos em 1986, narra um pouco de sua infância e juventude. Aos 8 anos, ganhou sua primeira guitarra. Aos 12, formou uma banda, que tocava covers dos Beatles. Com 18 anos, Lulu retorna ao Rio de Janeiro, e decide sair de casa, para viver em uma comunidade, no bairro de Santa Teresa. Durante os anos 70, conhece Lobão e Ritchie, seus futuros parceiros no conjunto de rock Vímana, que só teve um único compacto gravado, em 1976, pela Som Livre. Em seguida, Luís Maurício tocou com Gal Costa e Fagner, além de trabalhar com Guto Graça Mello, escolhendo músicas para as trilhas sonoras das novelas da Rede Globo.

Lulu Santos em 1982, em foto de divuilgação do LP "Tempos Modernos"
Lulu Santos em 1982, em foto de divuilgação do LP “Tempos Modernos”
Em 1981, Lulu participa do festival MPB-Shell, com Areias Escaldantes, que é lançada em compacto, assim como Tesouros da juventude, tema da novela O amor é nosso. No ano seguinte, grava seu primeiro LP – Tempos Modernos, que estoura nas rádios com De Repente Califórnia, e também com a faixa-título. O disco, produzido por Liminha, vende 56 mil cópias. Em 1983, lança O Ritmo do Momento, com as músicas Um Certo Alguém, Adivinha o quê e o mega-hit Como uma onda (zen-surfismo).

Nos anos seguintes, Lulu Santos continua a saga de sucessos, mas sem uma vendagem expressiva de seus discos. No início de 1986, troca a Warner pela RCA e grava Tudo Bem, tema da novela Selva de Pedra. No fim do mesmo ano, lança Lulu, o disco que tem Casa, Condição, Minha vida e Um pro outro. Resultado: Disco de platina – 250 mil cópias. Em 1988, lança dois LP’s: o primeiro, Toda Forma de Amor, trazia na capa os bonecos Barbie e Ken representando um momento, digamos, mais íntimo. A segunda prensagem do álbum teve a capa modificada, conforme ordem judicial. O segundo disco – Amor à arte, foi gravado ao vivo no Olympia, e trazia Lá vem o sol, versão de Here Comes The Sun, dos Beatles, e Lei da Selva. No final de 1989 chega às lojas o incompreendido Popsambalanço e outras levadas, considerado na época pela revista Veja o pior disco do rock nacional.

A partir daí, Lulu Santos inicia uma queda vertiginosa em sua carreira. E, quando tudo parecia irreversível, uma reviravolta: Lulu se une ao DJ Memê e produz o CD Assim caminha a humanidade, onde a faixa-título foi uma das canções mais executadas no país durante 1994. No ano seguinte, lança Eu e Memê, Memê e Eu, com versões de Descobridor dos Sete Mares, de Tim Maia, Se você pensa, de Roberto e Erasmo Carlos, Fullgás, de Marina e Antônio Cícero, e remixes de canções suas. Sucesso retumbante.

Mas, assim como “as ondas vem e vão”, Lulu Santos passa novamente por altos e baixos, intercalando discos rejeitados por público e crítica com outros grandes sucessos. Em 2000, faz seu Acústico MTV, com 27 sucessos reunidos em um CD duplo. Quatro anos depois, repete a bem sucedida parceria com MTV ao vivo, repaginando antigas canções e trazendo a inédita Sem nunca dar adeus.

Em 2005, Lulu lançou o CD Letra e Música, com releituras de Gilberto Gil (Ele falava nisso todo dia), João Penca e os Miquinhos Amestrados (Popstar), além de um novo hit: Vale de lágrimas. Em 2007, troca a Sony Music pela Som Livre, e lança o CD Longplay, reunindo nova safra de inéditas, como Contatos, Domingo maldito e Seu aniversário , entre outras. Em 2009, uma nova rodada de canções vieram em Singular, com destaque para a irresistível Baby de Babylon, tema da novela Viver a vida, de Manoel Carlos.

Dez anos após o primeiro acústico MTV, Lulu Santos volta ao formato em um segundo volume da série, reunindo hits da primeira década do milênio, canções “lado B” e inéditas, com destaque para E tudo mais. A turnê contava com a participação especial de Marina de La Riva em Adivinha o quê. Em 2011, apresentou a turnê Lulu Santos canta Roberto e Erasmo, através do Circuito Cultural Banco do Brasil, que resultou no álbum de estúdio Lulu canta & toca Roberto e Erasmo, lançado em 2013.

Cinco anos depois de seu último disco de novas canções, Lulu traz a público Luiz Maurício, um delicioso álbum pop que trazia os sucessos Sócio do amor e a faixa-titulo, que você confere abaixo. Luiz Maurício também marca a volta de Lulu Santos ao formato LP.

Desde 2012, Lulu Santos integra o time do programa The voice, da Rede Globo.

DISCOGRAFIA

“Tempos modernos” (Warner, 1982)
“O ritmo do momento” (Warner, 1983)
“Tudo azul” (Warner, 1984)
“Normal” (Warner, 1985)
“Lulu” (RCA, 1986)
“Toda forma de amor” (BMG, 1988)
“Amor à arte – ao vivo” (BMG, 1988)
“Popsambalanço e outras levadas” (BMG, 1989)
“Honolulu” (BMG, 1990)
“Mondo cane” (Polygram, 1992)
“Assim caminha a humanidade” (BMG, 1994)
“Eu e Memê, Memê e eu” (BMG, 1995)
“Anti ciclone tropical” (BMG, 1996)
“Liga lá” (BMG, 1997)
“Calendário” (BMG, 1999)
“Acústico MTV” (BMG, 2000)
“Programa” (BMG, 2001)
“Bugalu” (BMG, 2003)
“MTV ao vivo” (BMG, 2004)
“Letra e música” (Sony Music, 2005)
“Longplay” (Som Livre, 2007)
“Singular” (Los Santos / EMI, 2009)
“Acústico MTV II”(Los Santos / Universal, 2010)
“Lulu canta & toca Roberto e Erasmo” (Los Santos / Sony Music, 2013)
“Luiz Maurício” (Los Santos / Sony Music, 2014)
“Toca + Lulu – Ao vivo” (Los Santos / Sony Music, 2015)
“Baby, Baby!” (Los Santos / Universal Music, 2017)
“Pra Sempre” (Los Santos / Universal Music, 2019)