Categorias
Shows

Bossa Nova, “cinqüentona” com tudo em cima

Show em homenagem ao gênero musical reúne astros na Praia de Ipanema


Carlos Lyra, Fernanda Takai, Maria Rita, Emilio Santiago e Leila Pinheiro

O 1º de março de 2008 no Rio de Janeiro não foi exatamente uma festa de sol, mas ele apareceu, timidamente, no fim da tarde, afirmando que era um dia de luz. No aniversário de 443 anos da cidade maravilhosa, artistas se reuniram no palco montado nas areias da Praia de Ipanema para reverenciar os 50 anos do gênero musical no show “Bossa Nova 50 anos”.

Durante pouco mais de duas horas, o evento – apresentado por Thalma de Freitas e Mièle – relembrou os fundadores do movimento que mudou a forma de pensar e fazer música no Brasil – e no mundo. Em dois telões, instalados nas laterais do palco, foram exibidas imagens de grandes nomes, como Antonio Carlos Jobim, Vinicius de Moraes e Billy Blanco, autor da “Sinfonia do Rio de Janeiro”, que assistia ao show da primeira fila acompanhado por familiares e amigos, e foi aplaudido por cerca de 80 mil pessoas presentes na plateia do espetáculo (fotos, abaixo). Sobre a comemoração, Billy, aos 83 anos, declarou: “A Bossa Nova foi a melhor coisa que aconteceu na música brasileira nos últimos 50 anos”.

No palco, quem abriu as comemorações foi Leila Pinheiro, acompanhada por Oscar Castro Neves em “Manhã de Carnaval” (Luís Bonfá e Antônio Maria) e “A felicidade” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), no primeiro bloco, chamado “Orfeu da Conceição”. Em seguida, relembrando o lançamento do LP 78 RPM “Chega de saudade”, de João Gilberto (considerado por muitos como o marco zero da Bossa Nova), Emilio Santiago e Roberto Menescal reviveram “Bim bom / Oba-lá-lá”, de João Gilberto, e a clássica faixa-título, de Tom e Vinícius.


Leila Pinheiro e Oscar Castro Neves

 


Emilio Santiago e Roberto Menescal

O famoso apartamento de Nara Leão, ponto de encontro de músicos e amigos apaixonados pela Bossa foi representado pela voz doce de Fernanda Takai. A vocalista do Pato Fu, que recentemente dedicou um álbum inteiro a canções que ficaram marcadas na voz de Nara – “Onde brilhem os olhos seus” – interpretou com Menescal “Insensatez”, de Tom e Vinicius, e “O Barquinho”, de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli. A participação de Fernanda, que havia sido duramente criticada dias atrás pelo cantor Peri Ribeiro, foi um dos momentos mais bonitos de todo o show, com aprovação total do público.


Fernanda Takai em “Insensatez”

O quarto bloco do show relembrou histórias do tradicional Beco das Garrafas, em Copacabana, local onde aconteceram os primeiros shows de Wilson Simonal e Elis Regina. Mièle, com seu humor afiado, afirmou que, “conta a lenda que o beco recebeu este nome por causa das garrafas que os moradores atiravam nos rapazes que cantavam ali”, mas, segundo ele, “lenda é lenda, não dá pra saber ao certo se é verdade ou não”. Neste momento, o paulistano Zimbo Trio entrou em cena com “Gabriela”, de Tom Jobim, e com Leny Andrade fizeram um medley de “Tempo feliz” (Baden Powell e Vinicius de Moraes), “Sabe você” (Carlos Lyra e Vinicius) e “Tem dó” (Baden e Vinicius).


Leny Andrade

No quinto bloco, dedicado ao antológico show de Bossa Nova realizado no Carnegie Hall (NY) em 1962, e outros momentos gloriosos da Bossa Nova mundo afora, Carlos Lyra apresentou a clássica “Minha namorada”, composta por ele e Vinicius), e “Carioca de algema”, dele e de Millôr Fernandes. Wanda Sá, uma das maiores representantes da música brasileira fora do país, trouxe “Desafinado” (Tom Jobim e Newton Mendonça) e “Rio”, da dupla Roberto Menescal & Ronaldo Bôscoli, acompanhada pelo violão de Menescal. Na seqüência, Oscar Castro Neves, violonista que vive há quatro décadas nos EUA e veio especialmente ao Brasil para participar do show, cantou e contou histórias em “Chora tua tristeza” (dele e de Luvercy Fiorini).


Carlos Lyra em “Minha namorada”

 


Wanda Sá

 


Oscar Castro Neves

A emoção de Maria Rita: o destaque do show

O ponto alto da noite foi a entrada triunfal de Maria Rita, interpretando “Corcovado”, de Tom Jobim. Acompanhada por Oscar Castro Neves, a cantora, de 30 anos, emocionou-se ao longo dos versos da mesma canção que sua mãe, Elis, cantou em um dueto histórico com Hermeto Pascoal no festival de Montreux, em 1979. Aplaudida de pé, Maria Rita ainda tinha fôlego para mais um momento vibrante, com “Samba do avião”, também do mestre Tom.

O sexto e último bloco, chamado “E a bossa continua…”, misturou tradição e modernidade, casamento perfeito sob a benção da Bossa. João Donato pediu licença ao pianista Fernando Merlino para pilotar, ele mesmo, em voz e piano, as suas “Café com pão” (parceria com Lysias Ênio) e a dançante “Bananeira”, dele e de Gilberto Gil.


João Donato

Joyce, com João Donato e Roberto Menescal, apresentou a única canção inédita do show, chamada “No fundo do mar”, composta por ela e Donato. Fechando a sua participação com chave de ouro, a voz de “Clara, Ana e quem mais chegar” veio com “Samba da Benção”, de Baden & Vinicius.


Joyce

Já Marcos Valle, compositor altamente reverenciado no exterior, reviveu as suas “Preciso aprender a ser só” (acompanhado pela cantora Patrícia Alvim), e “Samba de verão”, que ganhou um toque eletrônico nas mãos do DJ Nado Leal. No mesmo embalo, Chris Delano e o Bossacucanova trouxeram a batida perfeita de duas praias distintas: a baianidade de Dorival Caymmi e o “Samba da minha terra”, e o gingado da “Garota de Ipanema”, de Tom & Vinicius.


Marcos Valle

 


Cris Delano e Rodrigo Sha, do Bossacucanova

Encerrando a noite, todos os artistas reunidos entoaram “Se todos fossem iguais a você”, também do maestro tom e do poetinha Vinicius. Uma noite para ficar na memória do Rio – e da Bossa Nova. Parabéns.

Veja mais fotos do show “Bossa Nova 50 anos”


Thalma de Freitas e Mièle

 


Oswaldo Montenegro e Billy Blanco

 


Billy Blanco, aplaudido pelo público

 


Roberto Menescal e o Bossacucanova

 


Maria Rita e Oscar Castro Neves

 


João Donato e Joyce

 


Emilio Santiago

 


Wanda Sá, Leny Andrade, Zimbo Trio e Carlos Lyra

2 respostas em “Bossa Nova, “cinqüentona” com tudo em cima”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *