Grooveria: MPB, ou Música Preta Brasileira

Conheça #1, um CD recheado de boas referências da black music

A Grooveria é uma banda paulistana que desde 2001 se apresenta pelas noites de Sampa, Rio e Espírito Santo, em shows e jam sessions muito especiais. A banda, formada por músicos com uma longa ficha musical e anos de bons serviços prestados à MPB, apresenta composições próprias e faz um apanhado geral de clássicos de Chico Buarque, Tim Maia, Jorge Benjor, Bob Dylan, Beatles e Led Zeppelin, entre outros, em arranjos totalmente pautados no soul e na black music.

Tendo na bateria e vocais Tuto Ferraz (Banda Black Rio, Paula Lima e Max de Castro), na percussão e vocais Alexandre Grooves (Maurício Manieri), no piano Rhodes Marcelo Malta (Clube do Balanço, Simoninha e Jair Rodrigues), no baixo Dudinha (Maurício Manieri, Paula Lima e Max de Castro), além de Marcelo Lima na guitarra e vocais (Banda Suburbana), Azeitona no trompete, Paulinho Norberto no trombone e o Dj Tubarão (Sandy & Junior), que pilota as pickups durante os intervalos, a Grooveria conta também com canjas – programas e não programadas – de Seu Jorge, Davi Moraes, Sandra de Sá, Luciana Mello, Max Viana e Ed Motta, entre outros nomes de peso da MPB.

E é neste clima de jam session que surgiu o primeiro CD da Grooveria, o delicioso #1. Em doze canções – próprias e regravações – os músicos, afiadíssimos, trazem para o disco parte dos convidados que semanalmente participam dos shows, como Rappin’ Hood, Max de Castro, Jair Oliveira, Claudio Zoli, Toninho Horta, Edu Tedeschi, Tomati, Zé Ricardo e Paula Lima.

Abrindo o álbum, Passando o som apresenta uma forma inteligente e criativa de aquecer a banda e os instrumentos. Na seqüência, releituras de Tema da Pantera Cor-de-Rosa (de Henri Mancini), com participação especial de Jair Oliveira, e When doves cry, hit de Prince lançado em 1984, com voz e guitarra de Max de Castro, e uma inusitada – e igualmente bacana – versão de Com que roupa, de Noel Rosa.

Em Zé Colmeia Groove, a Grooveria se encontra com Claudio Zoli e Rappin’ Hood, no casamento perfeito entre rap e soul; Em Beijo partido, de Toninho Horta, é o próprio autor que comparece com sua guitarra mágica. Em Quero ver quem vem, de Edu Tedeschi, Edu participa nos vocais, e Max de Castro na guitarra. Já em Só de amor, as participações são de Max Viana (guitarras) e do próprio autor, Zé Ricardo, no vocal; Djavan é relembrado pela Grooveria em duas faixas: Boa noite e Serrado. Esta última tem solo de guitarra de Tomati, integrante do sexteto do Programa do Jô.

O CD, que tem um projeto gráfico bacanérrimo, traz ainda as autorais Nada mal e Sempre com você, faixa que fecha o disco com a voz poderosa de Paula Lima. Vale lembrar que esta canção traz uma surpresa, mas aí, só ouvindo o álbum pra descobrir. E, quando você encontrá-la, garanto que vai querer ouvir de novo, de novo, de novo… confira.