Menu Close

Ney Matogrosso estreia novo show em SP

E fomos conferir a pré-estreia de “Inclassificáveis” em Piracicaba, interior de SP

Não é à toa que o novo show de Ney Matogrosso foi batizado de Inclassificáveis. Além da música tema – composta por Arnaldo Antunes – estar no repertório, Ney está fora de qualquer rótulo. Não só ele, mas toda sua banda, não pode ter uma classificação única. Em pré-estreia na cidade de Piracicaba, o ex-Secos e Molhados mostrou um pouco de tudo, desde canções inéditas de Cazuza até uma versão “metaleira” de Ode aos ratos, de Edu Lobo e Chico Buarque.

No meio do palco, um sofá com o figurino e apetrechos do cantor fazem parte do espetáculo. Como uma estátua de diamante, vestindo um colan de brilhantes, Ney inicia Inclassificáveis com o sucesso O tempo não pára, de Cazuza e Arnaldo Brandão, e partir daí leva o público da emoção à sensualidade, com sua voz e interpretação marcantes.

Relembrando visualmente o início de sua carreira, Ney veste roupas coladas, confeccionadas especialmente por Ocimar Versolato, capacetes que lembram soldados com penas de pavão, colares, até calcinhas e pulseiras extravagantes. O público se envolve do início ao fim do show e se hipnotiza em todas as canções. Não é exagero: aos 66 anos, Ney esbanja forma física e sua voz não perde quase em nada para o seu famoso agudo no começo de carreira. O único auxílio visível para Ney está na memória. Em três cantos diferentes do palco existem teleprompters que exibem as letras das canções.

O cenário acompanha a mudança rítmica do show que traz menções à África, aos índios e ao Oriente, com batuques e vocais típicos executados pela sua banda que tem Carlinhos Noronha no contrabaixo, Júnior Meirelles na guitarra e violão, Sérgio Machado na bateria, DJ Tubarão na percussão e pick-up, Felipe Roseno na outra percussão e Emilio Carrera – ex-integrante do grupo Secos e Molhados – que assina a direção musical e acompanha o espetáculo no piano e teclados.

No show Ney ainda interpreta Caetano Veloso em Terra e Divino Maravilhoso, Um pouco de calor, de Dan Nakanawa, e Ouça-me, de Itamar Assumpção. Não dá pra perder.

Serviço:
Ney Matogrosso com seu novo show “INCLASSIFICÁVEIS” no Citibank Hall em São Paulo – SP .
18 a 21 de outubro de 2007
Mais informações: www.citibankhall.com.br

1 Comment

  1. AURILENE

    NEY VC REALMENTE É UM ARTISTA, SEU SHOW ESTÁ DEMAIS MUITO RICO E VC MOSTRA UMA PERFONANCE INEDITA E UNICA, POIS VC INTERPRETA , DANÇA, CANTA, SE VESTE E FALA COM: A LUZ, A ROUPA, A EXPRESÃO CORPORAL E COM O OLHAR, FIQUEI MARAVILHADA COM SEU SHOW, VC ESTÁ DE PARABÉNS É UM DOS MELHORES ESPETÁCULOS JÁ VISTOS, SEM FALAR DO SEU CHARME, AUDACIA E OUSADIA.sem falar das letras; relatando nossa vivência, por sinal gostaria de ter a letra das músicas, pois é de um grande valor intelectual, por isso gostaria de interpretá-las. UM BEIJO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.