Menu Close

Preta Gil, a filha da MPB


Preta Gil - Foto: Fábio Vizzoni / Site Música & Letra

Preta Gil estreou ontem a temporada carioca de seu show Preta. A cantora, conhecida pelo inconfundível bom humor, levantou a plateia do Centro Cultural Carioca, ao interpretar seus sucessos e outros grandes clássicos da música brasileira, extravasando alegria e contagiando o público.

Acompanhada de uma banda afiada, formada por Rick (bateria), Lessa (baixo) e Ricardo Marins (guitarra), Preta soltou a voz e o verbo, promovendo tiradas engraçadas e contando histórias que antecediam as músicas que iria cantar. Abrindo o show com Sinais de fogo, Preta Gil aproveitou uma das estrofes da canção de Ana Carolina e Totonho Villeroy para saudar o público: “Você deve saber o quanto estou feliz em estar no Centro Cultural Carioca”.

Na seqüência, Preta Gil cantou sucessos de seus dois CD’s, Prêt-à Porter, de 2003, e Preta, de 2005, como Andaraí e Muito Perigoso, tema da novela Cobras & Lagartos. Entre uma música e outra, Preta não poupou nem mesmo a família e os amigos presentes na plateia, como as irmãs Maria (“ela me critica daqui do palco”), Nara Gil (“Nara, você veio!”) e a mãe, Sandra (“Mami, aprendi a falar palavrão com você, né?!) – exclamou Preta, obviamente brincando com toda a situação do show, que contou também a com a presença do apresentador Alex Lerner. Já em Suave, Preta Gil convoca o público para o primeiro momento romântico do show: “agora foi, assim, gostoso, suave…”.

Samba, Pop, Rock: todos os ritmos se encontram na voz de Preta

Quem vai ao show de Preta Gil achando que só há espaço para as baladas radiofônicas, certamente irá se surpreender. Sabiamente, Preta cativa todo mundo com suas canções, e depois apresenta uma seleção imbatível de sucessos de todos os tempos, começando por Barato total, composição de Gilberto Gil gravada pela madrinha Gal Costa em 1974: “Agora eu vou puxar o saco do meu pai e vou cantar uma dele, pra levantar o ECAD” – brinca. Em seguida, Preta retorna ao clima romântico com Cheiro de amor, que também está no seu segundo disco: “Essa minha Tia Bethânia gravou no LP Mel”.

Já em São Gonça, do grupo Farofa Carioca, Preta Gil se pergunta: “eu vou tentar cantar essa música, será que eu consigo?”. E consegue. Tanto consegue que alterna, entre os versos, uma impagável imitação de Ana Carolina e Alcione. Em Gatas extraordinárias, Preta é enfática: “essa meu Tio Caetano fez pra Cássia Eller. Aliás, eu sou sobrinha de um, filha de outro… eu sou filha da MPB!”.

Preta, que este mês se divide entre as apresentações no Rio e o musical Um homem chamado Lee, de Rodrigo Pitta, em São Paulo, repete a homenagem a Rita Lee cantando Agora só falta você, cheia de estilo. E avisa: “Preta é rock ‘n’ roll! (imagina se a Pitty escuta isso!)”.

Saindo do universo rock – e da “traveca” (referindo-se ao musical no qual interpreta um travesti obcecado por Rita Lee), Preta Gil encara o samba de roda em Leva eu pro samba, que Moraes Moreira fez especialmente pra ela; relembra Tim Maia em Sossego e promove um encontro inédito: Coisinha do Pai, de Jorge Aragão, com Kátia Flávia, de Fausto Fawcett.

Preta Glamurosa, rainha do funk

No bis, Preta Gil põe todo mundo pra dançar mesmo, com um medley que faz todo mundo levantar das mesas. Provando toda a sua ecleticidade, ela encerra o show com Marrom bombom (do grupo Os Morenos), os funks Glamurosa (de Mc Marcinho), Ela só pensa em beijar (de Mc Leozinho) e Céu da boca, sucesso na voz de Ivete Sangalo, deixando o palco – e o público – com um gostinho de quero mais.

Quer mais? Preta Gil fica em cartaz no Centro Cultural Carioca durante todas as quartas-feiras do mês de outubro, sempre às 21 horas. Confira.

8 Comments

  1. Bruna

    Preta
    gostaria de deixar aqui uma opinião sobre o que andam dizendo…
    Essa pessoa deve ter algum problema com a vida!!!
    vc estava linda e vc é linda,e sei que sabe disso,nunka se preocupou com o que dizem e não é agora q vai se preocupar!
    admiro seu jeito,parabens…
    vc é feliz…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.