Menu Close

Comemoração em dose-dupla no aniversário de São Paulo

Nos 453 anos da cidade, os Mutantes marcam sua volta aos palcos brasileiros

Arnaldo, Zélia e Sérgio

Os fãs dos Mutantes – que aguardaram ansiosamente pela volta do grupo – puderam finalmente concretizar esse sonho ontem à noite no show de comemoração ao aniversário da cidade de São Paulo, no Parque da Independência.

Mesmo com a forte chuva que caiu durante as apresentações do grupo Nação Zumbi e de Tom Zé, o público de aproximadamente 30 mil pessoas não desistiu de ver a lendária banda de rock brasileira de volta aos palcos quarenta anos após o primeiro encontro de seus integrantes originais.

O “Dom Pedro I” Sérgio Dias

Uma das surpresas do show aconteceu logo no início. Os Mutantes desceram as escadarias do Monumento à Independência e chegaram ao palco recebidos não só por aclamadas palmas, mas também por fogos de artifícios. Sempre irreverentes e criativos, os Mutantes chegaram caracterizados: Sérgio estava vestido como D Pedro I com direito à espada e tudo; Arnaldo de Padre José de Anchieta, usando batina e crucifixo; Zélia, com uma coroa de flores na cabeça segurando um bolo com a bandeira de SP encravada; e Dinho caracterizado de bandeirante.

O grupo, agora sem Rita Lee, conta com a presença de mais seis músicos que fizeram a festa de velhos e novos fãs com os clássicos que marcaram a carreira da banda na década de sessenta.

Tom Zé e Arnaldo Baptista

Com 22 músicas, o repertório do show seguiu à risca o formato do show em Londres, gravado e lançado em CD e DVD no final do ano passado, com exceção de Qualquer Bobagem, que foi incluída no show e cantada por Arnaldo Baptista e Tom Zé. O amigo tropicalista, co-autor de duas músicas presentes no repertório da banda fez uma participação especial também em “Dois Mil e Um”, música que concorreu no IV Festival da Record em 1968.

Muitos rostos emocionados eram vistos por toda parte, inclusive no palco. O entrosamento e a alegria da banda eram explícitos e o clima era de festa total, transformando a noite em um momento mágico e histórico. “Essa noite é um grande sonho na mente de todos nós”, disse Sérgio Dias durante o show.

As músicas do show foram cuidadosamente ensaiadas para que ficassem mais próximas possíveis das versões originais. Arranjos, melodias e detalhes foram mantidos, dando aos fãs da banda a sensação de que a realidade ainda era um sonho.

O show, que deu início às 20h20, terminou com um duplo bis às 22h15. Os Mutantes já haviam voltado uma vez, mas o público insistente aclamou por mais uma canja: Balada do Louco fechou a noite com chave de ouro. A prova de que nada é impossível, como a volta dos Mutantes, foi a constatação de Sergio Dias: “É legal que a gente ta aqui pra que ninguém duvide que tudo é possível sim!”

Os Mutantes estão de volta.

Confira o setlist:
Don Quixote
Caminhante Noturno
Ave Gengis Khan
Tecnicolor
Virginia
Cantor de Mambo
El Justiciero
Baby
I’m Sorry Baby
Top Top
Dia 36
Fuga nº II
Le Premier Bonheur Du Jour
Dois Mil e Um
Qualquer Bobagem
Ave Lucifer
Balada do Louco
I Feel a Little Spaced Out (Ando Meio Desligado)
A Hora e a Vez do Cabelo Nascer (Cabeludo Patriota)
A Minha Menina
Bat Macumba
Panis Et Circenses

Mais fotos do show:

A visão geral do palco
Zélia e Sérgio
Tom Zé e Zélia Duncan
Sérgio Dias
Zélia Duncan
Arnaldo Baptista
Todos os músicos, reunidos

15 Comments

  1. Nico Queiroz

    Carolina: uma ótima cobertura para um evento maravilhoso. Chorar de emoção é bom, chorar de emoção como chorei por causa de rock and roll, é melhor ainda!!! Keep on rochin’, baby!!! Abração, Nico on the Hill.

  2. Danestis

    louvado seja Deus, para quem conhece o nosso Arnaldo e sua obra sabe perfeitamente do que se trata. O mundo é sim dos Anjos a prova esta ai.
    Parabens para Zelia,Sergio, Arnaldo e todos os outros astros desta constelação.O parabéns especial para a querida Lucinha do Arnaldo (Joana D’Arc)na essencia.Danestis vosso amigo Greco-mineiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.