Em entrevista, o Power Trio fala sobre o CD de estreia

Enquanto bandas de rock consagradas saem em férias sem vencimento – como o Barão Vermelho, o Kid Abelha e o Engenheiros do Hawaii – ou simplesmente decretam o seu fim, como o Ira!, novos grupos se formam e decretam a renovação do rock brasileiro.Entre os novos sons que pintam por aí está o Power Trio Stellabella, que acaba de lançar seu primeiro e homônimo CD pela gravadora Coqueiro Verde.

Em 13 faixas, André Stella (voz, guitarra e violão), Diego Laje (bateria e percussão) e China (baixo) mostram a personalidade musical da banda, formada em 2000, e contam com uma participação muito especial: Tico Santa Cruz, do Detonautas, marca presença na canção “Alguém”.

Por e-mail, o trio contou para o blog histórias, influências, parcerias, em um bate-papo pra lá de simpático. Toca aí!

Música e Letra: Percebo, entre as canções do CD, um fio condutor: as relações. Como é para vocês falar de amor através do rock, sem soar piegas? Além do cuidado musical, há uma preocupação com o que é dito, através das letras?

André Stella: Todas as letras são escritas por mim. Além de relacionamentos as letras também falam de conflitos internos e coisas do cotidiano, mas as relações são o tema principal das canções. Procuro sempre falar de coisas que realmente aconteceram e acontecem comigo. Isso é automático quando começo a escrever. Além do cuidado na parte musical (harmonias e melodias) eu sempre tento ser sincero nas coisas que escrevo e canto nas letras. Muitas pessoas acabam se identificando com o que eu digo nas músicas e isso é o que vale a pena, essa conexão entra banda e público.

Música e Letra: Nos dias de hoje, com o mercado fonográfico em plena crise, como é para vocês chegar a uma gravadora como a Coqueiro Verde e lançar um CD?

Diego Laje: Lançar o CD por uma gravadora é a grande oportunidade de fazer com que as coisas andem mais rápido e de forma mais objetiva, já que o investimento é bem maior e isso faz muita diferença. Na Coqueiro Verde ainda contamos com experiência de grandes nomes do mercado fonográfico como o Erasmo Carlos, Marcos Kilzer e Léo Esteves. Melhor impossível!

Música e Letra: MP3, Orkut, You Tube, My Space… como vocês lidam com as mídias digitais? Na visão de vocês, existem prós e contras com a Internet?

Diego: Acho que as mídias digitais e a internet como veículo para estas revolucionaram o mercado. Há uma tendência à democratização da música e do mercado, mas acredito que se engana aquele que achar que não precisa de investimento e que só botando umas músicas pra download e ficar horas no Orkut ou no MSN vai tornar uma banda rentável. Acho que há algo assim como uma migração em transição do negócio e quem não ficar ligado vai ficar de fora.

Música e Letra: Tico Santa Cruz é convidado especial na faixa “Alguém”. Como pintou essa amizade que, agora, é celebrada com a participação no CD?

André: Nossa amizade com o Tico Santa Cruz e com o Detonautas vem desde 2001, quando tocamos juntos aqui no Rio pela primeira vez. Nós estávamos bem no início da banda e eles nos incentivaram muito. Desde então nós nunca perdemos contato e eles sempre nos deram a maior força, inclusive nos chamando pra abrir alguns shows posteriormente. Em 2007 nós lançamos um disco independente (chamado “Alguém”) e o Tico Santa Cruz mostrou esse CD pro Von Kilzer, A&R da Coqueiro Verde Records. O pessoal da gravadora gostou do trabalho, assinamos contrato e eles resolveram relançar o CD (que agora leva o nome da banda), remasterizado, com uma faixa acústica bônus, com capa e encarte novos e com a participação mais que especial do Tico Santa Cruz nos vocais da música “Alguém”, que além de remasterizada foi remixada. Ele já conhecia a música e quando surgiu o convite ele topou na hora. Somos muito gratos pela força que ele e todos do Detonautas sempre deram pra gente.

O CD da Stellabella, lançamento da Coqueiro Verde
O CD da Stellabella, lançamento da Coqueiro Verde
Música e Letra: Voltando um pouco o relógio pra trás, como a banda surgiu?

André: A banda surgiu em 2000. Nessa época eu estava com vontade de formar um Power Trio. Já tinha passado por outras bandas, mas dessa vez queria formar um grupo que levasse o trabalho com música realmente a sério. Chamei o China (baixo), que eu já conhecia desde a época do colégio e ele me apresentou o Diego (bateria), que é argentino e que veio aqui para o Brasil justamente para tocar. Na época eles estavam tocando em uma banda, mas eu acabei “roubando” eles para tocar comigo. A química entre a gente foi imediata, além da vontade mútua de se fazer música a sério e batalhar sempre por algo maior e melhor, para que um dia a gente consiga viver só de música.

Música e Letra: E o nome?

André: O nome foi idéia minha. Queria um nome sonoro e mais universal, que não tivesse um significado específico. Queria um nome que soasse bem aos ouvidos e que escrito no papel agradasse aos olhos também. Depois de algumas tentativas finalmente cheguei em Stellabella.

Música e Letra: Quais são as influências musicais de vocês?

André: Punk rock, grunge, indie rock e bandas como Nirvana, Foo Fighters, Queens of the Stone Age, The Smiths, The Jam, Placebo e por aí vai.

Diego: Quase tudo pelo que o André Stella foi influenciado e mais um pouco do bom jazz dos anos 40 e 50.

China: Punk Rock e Pop Rock.

Música e Letra: E entre as novas caras da música, quem vocês curtem? O que vocês estão ouvindo?

André: Tenho ouvido muito os últimos trabalhos do Radiohead, do Queens of the Stone Age, o novo do Weezer e o novo do Detonautas, além, é claro, daquelas bandas que eu nunca deixo de ouvir (Nirvana, Beatles, Iron Maiden, Foo Fighters e por aí vai). Na cena independente nacional têm o Verbase (MG), o Rabugentos (RJ), o General Tequila (Santos) e muitas outras bandas que merecem uma atenção maior por parte do público que gosta do rock nacional.

Diego: O dois últimos discos do Detonautas são alucinantes, In Raibows do Radiohead não páro de ouvir, Foo Fighters e Queens of the Stone Age não saem do meu Ipod. Duas bandas do under carioca que gosto muito são Revel e Rabugentos, e do interior de minas o grande Verbase.

China: Ouvindo Radiohead, Queen of Stone Age e Everything But the Girl das antigas.

Música e Letra: E o que vêm por aí? Quais são os planos e projetos da Stellabella daqui pra frente?

André: Já temos músicas para um novo disco, mas só vamos começar a pensar nisso no ano que vem. Por enquanto estamos nos concentrando na divulgação desse nosso primeiro CD, fazendo shows e trabalhando com muita seriedade e sinceridade para que nosso som alcance cada vez mais um número maior de pessoas.

Diego: Ficar famosos e viajar pelo Brasil todo… (risos).

Música e Letra: Pra terminar, o espaço está aberto para vocês. Mandem o recado que quiserem!

André: Visitem nosso site e nosso myspace. E viva o Rock’n’Roll!!! Enquanto houver uma garagem e uma galera a fim de tocar, o rock aqui no Brasil nunca vai acabar. Novas bandas vão sempre surgir e a cena nunca morrerá. Só espero que elas não desistam no meio do caminho.

Diego: Sigam a sua verdade e viva o rock nacional!

Assista ao clip de “Alguém”: