Lançamentos

Charles Gavin recupera títulos esquecidos no acervo da Som Livre

Há cerca de dez anos o titã Charles Gavin vem realizando um trabalho primoroso de resgate de obras esquecidas nos arquivos das principais gravadoras do país. Foi ele quem trouxe de volta às prateleiras pérolas como os dois discos do Secos & Molhados, além de Maysa (Barquinho), Hyldon (Nossa história de amor), e outros títulos de Guilherme Arantes, Paulinho da Viola, Tom Zé, Lady Zu e A Cor do Som, abandonados nos armários da Sony, Universal e Warner.

Desta vez, o baterista e garimpeiro Gavin mergulhou fundo na verdadeira mina de ouro que compõe o arquivo da Som Livre, que também é detentora dos fonogramas das extintas gravadoras RGE e Fermata. O resultado desta pesquisa chega às lojas no próximo dia 7: na lista de álbuns restaurados, estão discos dos Novos Baianos (Vamos pro mundo), Vinícius, Marília Medalha e Toquinho (Como dizia o poeta), Alceu Valença (Molhado de suor), Tom Zé (Nave Maria), Marcos Valle (Vontade de ver você), entre outros de Rosinha de Valença, Zimbo Trio, Som 3, Gerson Conrad e Zezé Motta.

Dentro deste pacote, estão incluídos também um raro (e desconhecido) LP de Tim Maia lançado em 1977, as trilhas sonoras dos infantis Vila Sésamo, de 1974, com canções de Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, e o primeiro LP Sítio do Picapau Amarelo, de 1977, que trazia Doces Bárbaros, João Bosco, Lucinha Lins, Sérgio Ricardo, Dorival Caymmi, MPB4 e Gilberto Gil, cantando a faixa-título. Imperdível!

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *