Desde que me entendo por gente, Natal que é Natal tem de ter: árvores enfeitadas, Panetone, gente sorrindo, confraternizando e… Roberto Carlos tocando.

Pra mim, é a época do ano que as pessoas estão mais alegres, mais otimistas, mais felizes. E acho que as canções do Rei ajudam a embalar a felicidade desta nação e estão no inconsciente de todo mundo.

Hoje, um pouco diferente de todo ano, não está sendo lançado um disco dele, e sim um DVD, gravado ao vivo em São Paulo, que, em sua edição especial, traz um CD do mesmo show. O preço, infelizmente, não é popular como Roberto (R$ 50 o DVD, R$ 65 o DVD+CD), mas há quem compre. Duvido que não venda pelo menos 250 mil cópias – o que em tempos de pirataria, talvez equivaleria aos dois milhões que Roberto vendia nos anos 1980.

Voltando ao natal: em 1999, quando Maria Rita se foi, o fim de ano não teve Roberto. Nem o tradicional disco, nem o tradicional especial da Globo – que este ano completa 30 anos. Todos (ou quase todos) estavam ali, solidários como sempre nesta época do ano, mais ainda com a dor de quem embala corações há mais de quatro décadas.

Vida longa a Roberto Carlos. Que ele continue por muitos e muitos anos a incrementar o Natal do Brasil.

(Foto: reprodução da capa e contracapa de um raro disco lançado no Uruguai – equivalente ao lançado por RC em 1966).