Lançamentos

As cores do som de Max Viana

Músico lança segundo CD solo, com participações muito especiais

Os primeiros acordes de “Colo pra você”, canção que abre o novo trabalho de Max Viana, denunciam: seu segundo CD é pop. E pronto. Quatro anos após o lançamento de “No calçadão”, o filho mais velho de Djavan volta à cena com o independente “Com mais cor” (JT Records / A Universal Distribuidora).

Em 13 faixas, Max, que também cuidou da produção do disco, faz uma proposta interessante ao ouvinte: letras deliciosas, melodias dançantes, seguindo a mesma (boa) cartilha da escola do pai, que lançou no mês passado seu 18º álbum, cujo título também remete ao universo das cores: “Matizes” (Luanda Records).

Doze canções levam a assinatura de Max Viana, seja sozinho (“Colo pra você”, “Te liguei”, o samba “Você não entendeu” e a vinheta “Quando amanhecer”, além da faixa-título) ou com parceiros: Jair Oliveira (em “Sussurro”), Guilherme Arantes, que enviou a letra de “Disque sim” para Max (“sou fã do Guilherme, foi uma grande honra”, conta), Dudu Falcão (em “Mais um” e “Pra quem faz uma canção de amor”), Zé Ricardo (em “Acabar bem”) e Línox (em “Uma história pra contar”, onde também participa da faixa tocando caixa).

Entre as surpresas deste “Com mais cor” estão as participações de Djavan e Rappin’ Hood em “Vilarejo”, onde cada um faz a sua intervenção, conforme a sua praia – MPB ou rap – e a releitura de um grande sucesso de Lenine, “Hoje eu quero sair só”, que na interpretação de Max ganha uma nova roupagem, com ecos da disco music do final dos anos 1970.

Nesta (bem sucedida) empreitada musical, Max (vocais, violão e guitarras) está acompanhado por seu irmão, João Viana (bateria), André Vasconcelos, Marcelo Mariano e Sérgio Carvalho (baixo), Renato Fonseca (piano), Marcelo Martins (sax/soprano), Vini Rosa (guitarra) e Vivi Vigiolatto (vocais).

Rejeitando qualquer tipo de denominação para seu disco, Max Viana prefere que nenhum rótulo seja adotado para tentar defini-lo: “A música brasileira é bem versátil e busquei levar isso para o meu trabalho”, afirma. Porém, já na primeira audição, fica difícil não se envolver com a sonoridade e a interessante articulação das palavras. E isso é música pop. E pronto.

Visite o site de Max Viana.

Você também pode gostar...

4 comentários

  1. Aprecio muito o trabalho do Max, talvez por ter simpatia pela pessoa que ele pelo menos aparente ser- ligado a família, doce, e isso é refletido em seu trabalho.
    Espero que novas notícias sobre ele sejam colocadas aqui!
    Beijos

  2. Nádia Silva diz:

    Max demonstra uma leveza ao tocar…Transmite uma paz, fora do comum!

    Além de ser um homem muito interessante.

    BJOS, MAX…SUCESSO!!!

  3. carlos augusto barroso de oliveira diz:

    olá max sou bahiano e gosto muito do seu som
    eu toco bateria,e tenho que confessar uma caisa;toca pra caramba vc

    e vc é filho do meu maior ídolo que é Djavan

    muito sucesso

    abroços

  4. DENISE TEIXEIRA diz:

    DIZEM QUE O FRUTO NÃO CAI LONGE DO PÉ….E COM CERTEZA ESSE FRUTO É DE ÓTIMA QUALIDADE……SIGA SEU RUMO, SEU RITMO….SEJA VOCE…..BOA SORTE E SUCESSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *