Roberto Carlos, na capa do single Esse cara sou eu (2012)

Em tempos de música digital e de aparelhos que carregam milhares de músicas no bolso, quem mais poderia retomar uma tradição há tempos esquecida – a de vender um milhão de CD’s? Somente um Rei seria capaz de repetir este feito tão antigo. Roberto Carlos, que desde 2003 não lança um disco de inéditas, este ano (pra não passar em branco) mandou para as lojas um EP (sigla de Extended Play), carinhosamente chamado de… compacto!

Desde que foi lançado, há algumas semanas, a canção “Esse cara sou eu” está há semanas em primeiro lugar no iTunes, e o CD, vendido a R$ 9,90 nos poucos lugares físicos que ainda existem por aí para adquiri-lo – como lojas de departamentos ou livrarias, já vendeu mais de um milhão de cópias. A balada, tema central dos personagens da novela das 21 horas, ganhou memes nas redes sociais e incontáveis gozações, chamando o personagem da canção de “meloso” e “inseguro” pra baixo.

Piadas e brincadeiras à parte, o sucesso do “compacto” deixa claro que, aos 71 anos e aos 52 de carreira, Roberto Carlos, patrimônio cultural e símbolo do Natal brasileiro, vestindo o mesmo terno azul e cantando o amor como só ele é capaz de fazer, ainda é “o cara”.

Ouça “Esse cara sou eu”:

Ouça o funk “Furdúncio”: